A criação deste Blogue, ideia lançada por António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

31/08/2015

Para Espanha Já Não Vai...

31/08/2015 + 0 Comentários
GAITÁN SÓ PODE RUMAR A INGLATERRA. NAS PRÓXIMAS 19 HORAS TUDO FICARÁ DECIDIDO.

O melhor futebolista a jogar em Portugal é do Benfica. Meia-noite continental europeia, para lá da fronteira portuguesa. Fechou Espanha, França, Itália e Alemanha. Resta Inglaterra. Hora igual, ansiedade com 60 minutos x 19 horas! Muita fruta!

Clique para perceber os desfasamentos no fecho do "Mercado de Verão"!

Alberto Miguéns
Ler Mais ►

Zézinho no Quarto Anel

+ 1 Comentários
JOSÉ GOUVEIA MARTINS PARTIU ONTEM PARA O 4.º ANEL AOS 85 ANOS. QUE DESCANSE EM PAZ.  


Há anos que queria uma resposta, encontrei-me com ele algumas vezes e esqueci-me sempre de fazer a pergunta. Nunca me lembrei porque a conversa tombava sempre para o Benfica dos anos 50. A pergunta que nunca será respondida. Qual era o clube de origem do Zézinho antes de estrear o CD Montijo? Fiquei sem saber. Foram três, os clubes que deram origem ao CD Montijo. O Aldegalense Sport Clube (fundado em 14 de Julho de 1909), o Onze Unidos Futebol Clube (fundado em 16 de Julho de 1923) e o Avenida Futebol Clube (fundado em 22 de Junho de 1930).

Do Montijo para o Benfica
Nasceu na Aldeia Galega do Ribatejo (actual Montijo) em 6 de Março de 1930. Começou a jogar num dos três clubes existentes na localidade onde vivia. Com a fundação, em 1 de Setembro de 1948, do CD Montijo, resultante de uma fusão dos três emblemas montijenses, fez parte, aos 18 anos da primeira equipa do clube. Jogador possante e criativo, ambidextro, polivalente, rápido e goleador interessou ao “Glorioso”. No final da temporada de 1951/52, com 22 anos ingressou no Benfica.


Oito temporadas, entre 1952/53 e 1959/60
Foi treinado no Benfica por seis técnicos: Zozaya (1952/53), Ribeiro dos Reis (1952/53 e 1953/54), Valadas (1953/54), Otto Glória (1954/55 a 1958/59), Valdivielso (1958/59) e Béla Guttmann (1959/60).

Uma: 1952/53
Foi com o argentino Alberto Zozaya que Zézinho se estreou, em 2 de Novembro de 1952. Ao 9.º jogo da época, na 6.ª jornada do campeonato nacional, no estádio das Antas, frente ao FC Porto. Jogou a extremo-direito substituindo o habitual titular, o barreirense campeão latino, Corona. Esteve presente em 28 jogos (onze golos), com 16 na I Divisão (num total de 26 jornadas) e cinco jogos na Taça de Portugal (dos sete efectuados pelo “Glorioso”). Com 26 jogos a titular (dois como suplente): 14 a extremo-esquerdo e 12 a extremo-direito. Na final da Taça de Portugal (V 5-0 ao FC Porto) foi Rosário (também falecido em 2015) a ocupar o seu lugar.

Onze Gigantes. No Brasil. Em 1957. Zézinho (em pé, terceiro a contar da esquerda) entre Pégado e Alfredo. Esta "equipazinha" deu 3-0 ao SE Palmeiras em São Paulo! Onde jogava Altafini, futebolista que seria campeão do Mundo no Mundial de 1958 (Suécia) e que depois no AC Milan fez dois golos ao Benfica na final da TCCE em Wembley (1963)

Duas: 1953/54
Uma época em dificuldades. Apenas onze jogos afastando-se da equipa logo no início de Fevereiro de 1954, quando Ribeiro dos Reis decidiu deixar a orientação técnica do futebol substituído pela Glória, Alfredo Valadas (até aí técnico de campo). Apenas cinco jogos no campeonato nacional. Isto numa temporada em que Ribeiro dos Reis decidiu passá-lo de extremo para defesa, “estreia” em 17 de Janeiro de 1954. Em oito jogos como titular (três a suplente) actuou cinco a extremo-direito e três na defesa: dois na direita e um na esquerda. Não marcou golos. A polivalência ao serviço do Benfica. Como ela afirmava. Pelo Benfica temos de fazer tudo. O Benfica é tudo!

Três: 1954/55
E chega Otto Glória. Foi pouco utilizado durante a época mas depois revelou-se importante na digressão de final de temporada ao Brasil. No total 18 jogos (dois golos), mas apenas dois para o campeonato (conquistado) e cinco na Taça de Portugal (conquistada com Zézinho a jogar na final). Com cinco jogos como suplente, foram 13 a titular: três a extremo-esquerdo e dez a extremo-direito. E comecei por referir a ponta esquerda por uma questão cronológica. Otto Glória colocou-o no lugar da Glória Rogério Lantres de Carvalho, mas depois optou por Francisco Palmeiro passando Zézinho para a direita no lugar da Glória Francisco Calado. Foi como extremo-direito que jogou na final da Taça de Portugal (V 2-1 frente ao Sporting CP).  

Na final da Taça de Portugal, em 1955, jogou a extremo-direito (segundo, na primeira fila, a contar da esquerda)

Quatro: 1955/56
Mais uma temporada pouco conseguida. Apenas sete jogos, com cinco para o campeonato. Dois como suplente e cinco como extremo: quatro na direita e um na esquerda. Uma temporada para esquecer, penso que afectado por lesões.

Na final da Taça de Portugal em 1957 jogou a médio-esquerdo (terceiro, de pé, a contar da esquerda)

Cinco: 1956/57
Vinte jogos, mas os números enganam. Cinco jogos para o campeonato (em 26), quatro na Taça de Portugal (em 8) e a “cereja em cima do bolo” – dois jogos para a Taça Latina. Os outros nove encontros correspondem a mais uma digressão ao continente americano (Brasil e EUA). Otto Glória utilizou-o mais recuado no terreno de jogo: nos 17 jogos a titular (três como suplente), oito como defesa (seis à esquerda e dois na direita), oito como centrocampista (cinco ao centro e três na esquerda) e um a extremo-direito (avançado). Em época de “dobradinha” jogou a final frente ao SC Covilhã (V 3-1) como médio-esquerdo e na Taça Latina fez os dois jogos como médio-centro. Numa edição realizada em Madrid, ficou para a história do futebol o modo como anulou o melhor futebolista do Mundo, Di Stefano. Só a expulsão aos 55 minutos (agarrou a camisola de um madridista) permitiu que o extraordinário futebolista hispano-argentino marcasse o golo da vitória. E de grande penalidade, aos 62 minutos, no seu Estádio (ainda de Chamartin, depois Santiago Bernabéu). Como dizia Zézinho: «Marquei bem Di Stefano? Fiz a minha obrigação! O que Otto Glória me pediu! Se fosse preciso até o marcava no balneário!»



Seis: 1957/58
Vinte e três jogos (um golo) com três a suplente utilizado e 20 a titular: 15 como defesa – dez na direita e cinco à esquerda - e cinco no meio-campo (três no centro e dois na esquerda). Apenas seis encontros particulares, mas onze jogos para o campeonato nacional, cinco na Taça de Portugal e um na…Taça dos Clubes Campeões Europeus. Na segunda mão, na estreia da competição, na Saudosa Catedral, frente ao Sevilha FC (E 0-0).

Sete: 1958/59
Quinze jogos com sete para o campeonato nacional e um para a Taça de Portugal, conquistada ao FC Porto. Dos 12 encontros a titular foram sete na defesa (apenas um como defesa-direito), quatro como centrocampista (três ao centro e um à esquerda) e… um a avançado-centro! Na I Divisão frente ao GD CUF Barreiro, no Barreiro! Com José Águas lesionado, o treinador recorreu a Zézinho. O Benfica era tudo!

Num grupo de 20 Gloriosos eis Zézinho como extremo-esquerdo (primeiro, em baixo, a contar da direita). Ainda podemos "aprender e tirar dúvidas" com quatro: Bastos (86 anos em 2015), Ângelo (85 anos em 2015), Artur Santos (84 anos em 2015) e Francisco Palmeiro (83 anos em 2015). Além do decano de todos eles: Rogério Carvalho (93 anos em 7 de Dezembro de 2015)

Oito: 1959/60
Com a chegada de Béla Guttmann, o montijense tinha os dias contados. A caminho dos 30 anos seria a derradeira temporada. Cinco jogos, com dois para a Taça de Honra de Lisboa e um para o campeonato nacional. Nos quatro a titular, três como defesa-esquerdo e um na direita. Aquele que seria o da despedida. Estreou-se a extremo-direito (1952) fez o último jogo com o “Manto Sagrado” como defesa-direito. Estreou-se no campeonato nacional despediu-se na mesma competição. Para ser campeão nacional. Na 22.ª jornada em 26! Frente à equipa da Associação Académica de Coimbra, na Saudosa Luz, numa vitória, por 5-1, em 20 de Março de 1960, com 30 anos e…14 dias de idade.


Valores importantes
Nas oito épocas com o “Manto Sagrado” actuou em 9 499 minutos, correspondentes a 127 jogos marcando 14 golos. Esteve nos sete títulos do “Glorioso” conquistados nessas oito temporadas: três campeonatos nacionais (1954/55, 1956/57 e 1959/60); e quatro Taças de Portugal (1952/53, 1954/55, 1956/57 e 1958/59). Jogou as duas finais – 1954/55 e 1956/57 – correspondentes a duas “dobradinhas”. É (e será para sempre) um dos melhores polivalentes do Glorioso Futebol. Jogou em sete posições, apenas não actuando a guarda-redes, a interior (direito e esquerdo) e médio-direito. Em 105 jogos - 87 completos - a titular (22 como suplente utilizado): 32 como extremo-direito, 21 a defesa-esquerdo, 18 como extremo-esquerdo, 16 a defesa-direito, onze a médio-centro, seis a médio-esquerdo e um como avançado-centro. Contribuiu para 80 vitórias e 20 empates (com 27 derrotas).


Aos 35 anos ainda jogava e marcava golos no CD Montijo

Do Benfica para o CD Montijo
Aos 30 anos, regressou ao CD Montijo, onde terminou a carreira no Futebol. Reformou-se da sua ocupação profissional e continuou empolgado com o Benfica dos anos 60 e décadas seguintes… Faleceu aos 85 anos, em 30 de Agosto de 2015.

Até sempre Zézinho. As Glórias do Benfica nunca são Velhas ou Ex-. São Glórias! Simples! Eternas!

Alberto Miguéns


Ler Mais ►

Hoje! Dia B. Bê de Benfica!

+ 1 Comentários
EM NOVE JOGOS! POUCOS GOLOS MARCADOS (Dez) E MUITOS GOLOS SOFRIDOS (Doze). EM NOVE JOGOS!


Resultado? Em nove jogos, cinco derrotas e duas vitórias! Que pobreza franciscana.


NOTA PRÉVIA: Fui surpreendido ao final da noite de ontem pela notícia do falecimento da Glória do Benfica, Zézinho (1930-2015) futebolista fundamental para as conquistas nos anos 50. Ainda no ano passado (ou há dois/três anos) aquando do aniversário do "Saudade" (5 de Outubro de 2012/13 ou 2014) falei com ele! Conto editar nesta segunda-feira, pelo meio-dia, uma pequena biografia. Zézinho no Quarto Anel

Olhem-me para estes três, em 1955: Águas, Coluna e Zézinho

Rui Vitória
Merece toda a confiança dos Benfiquistas. É o treinador escolhido para 2015/16. É o nosso treinador. Deverá ter o apoio incondicional dos Benfiquistas e compete a Rui Vitória merecê-la. Que saiba tomar as decisões certas para fazer de 2015/16 mais uma temporada com grandes conquistas. À Benfica!

Hoje: Dia B. De Benfica
O chamado “Mercado de Verão” encerra pela meia-noite de hoje (de 31 de Agosto para 1 de Setembro). Há muitas incógnitas. Para além de manter todo o actual plantel (Gaitán incluído, pois claro!) há duas ideias que parecem ter razão de ser.
Colocações: Há futebolistas que necessitam de jogar em clubes com menos exigências que o “Glorioso” para “crescerem”:
Cristante – Um jovem ficar duas temporadas consecutivas sem jogar com regularidade não é útil, nem a ele nem ao Clube;
Nuno Santos – Com tantos médios-ala com mais experiência dificilmente será utilizado;
Djuricic – Não é aposta do treinador;
Nélson Oliveira – Também não é aposta do treinador.
Contratações: Há posições que necessitam ser reforçadas (daqueles que entrem de “caras” no plantel, embora Eliseu, Ola John e Raúl se mostrem capazes de assegurar, por agora, a titularidade: mais um defesa-esquerdo, um médio-ala para a esquerda e um avançado (se o Benfica continuar a jogar em 4.4.2). Equilibrar o plantel, para também podermos afirmar a partir do recomeço da temporada, pela 4.ª jornada da Liga NOS: Há Benfica!

A época deverá ter 60 jogos (pelo menos) para ser considerada uma época À Benfica.
Em 2015/16 estou a projectar o “Glorioso” chegar aos oitavos-de-final (pelo menos…) da Liga dos Campeões (8 jogos), às finais da Taça de Portugal (sete jogos) e da Taça da Liga (5 jogos).

TEMPORADA 2015/16
Competições
J
V
E
D
GM
GS
TOTAIS
9 (60)
2
2
5
10
12
Primeira Liga
3 (31)
2
-
1
7
3
Liga dos Campeões
(8)
-
-
-
-
-
Taça de Portugal
(7)
-
-
-
-
-
Taça da Liga
(5)
-
-
-
-
-
Torneios
4
-
2
2
3
5
Troféus
1
-
-
1
-
3
Supertaça
1
-
-
1
-
1

Repito o que já disse para justificar que ainda penso ser precoce fazer juízos acerca do que nos espera para 2015/16
Muito há a dizer do futebol do Benfica em 2015/16. Mas com a pré-época que existiu e a época – quatro jogos – que já se realizaram penso que a próxima jornada vai ser muito (reforço, Muito) importante. Só farei o balanço, fundamentando a minha opinião, depois do jogo da 4.ª jornada (CF “Os Belenenses”). Porque há três momentos importantes que vão ter de ser bem vividos e utilizados para dar sustentabilidade ao futebol do “Glorioso”:

      1.   Fecho do “Mercado de Verão”
Até 31 de Agosto (segunda-feira) perceber o “Deve/Haver” do grupo de trabalho para fazer os reajustamentos que equilibrem e potenciem o plantel rumo ao 35/TRI;

      2.   Aproveitar a semana de “paragem”
Até 13 de Setembro (principalmente depois de 1 de Setembro) fazer uma reflexão complexa. Rui Vitória sente-se à vontade para continuar a jogar em 4.4.2 ou tem capacidade para impor o 4.5.1 que é a “norma” existente em Portugal (e em quase todos os clubes do Mundo)?;

      3.     Preparação da 4.ª jornada
Até 13 de Setembro preparar a 4.ª jornada (anterior à deslocação ao estádio do FC Porto) que vai ter uma “carga emocional” muito grande. Durante o jogo, se o Benfica não conseguir marcar golo, surgirá na “Catedral” o “fantasma” dos “quinze minutos finais”. Só que  adversário, vindo do Restelo, teoricamente é mais forte que os três anteriores, vindos do Estoril, Arouca e Moreira de Cónegos.

Adiantando o Deve/Haver para daqui a umas semanas
Perceber para onde vai o Glorioso Futebol.

Vejamos o plantel
NOTAS: A idade tem como referência 31 de Dezembro de 2015. Em 1 de Janeiro de 2016 acrescentarei mais um ano de idade a todos! A vermelho (titulares); a verde (suplentes utilizados); a preto (suplentes não utilizados); a azul (convocados não utilizados como suplentes); a amarelo (não convocados); a castanho (transferidos)

Guarda-redes: Paulo Lopes (37 anos), Júlio César (36 anos) e Éderson (22 anos)

Futebolista
Minutos
Jg
Tit
Gl
As
TOT
1.º
(1)
2.º
(2)
3.º
(3)
4.º
(4)
EC
(5)
ST
(6)
1.ªN
(7)
2.ªN
(8)
3.ªN
(9)
Júlio César
686
64
90
-
82
90
90
90
90
90
8
8
- 9
-
Éderson
98
S
S
90
8
S
S
S
S
S
2
1
- 2
-
Paulo Lopes
26
26
S
S
S
S
-
-
-
-
1
-
- 1
-

Defesa: Luisão (34 anos), Eliseu (32 anos), Jardel (29 anos), Sílvio (28 anos),Lisandro (26 anos), André Almeida (25 anos), Nélson Semedo (22 anos) e Lindelof (21 anos).



Futebolista
Minutos
Jg
Tit
Gl
As.
TOT
1.º
(1)
2.º
(2)
3.º
(3)
4.º
(4)
EC
(5)
ST
(6)
1.ªN
(7)
2.ªN
(8)
3.ªN
(9)
Luisão
614
77
66V
81
82
38
L
90
90
90
8
8
-
-
Lisandro
571
25
6
90
S
90
90
90
90
90
8
6
-
-
N. Semedo
482
S
S
90
S
32
90
90
90
90
6
5
1
-
Eliseu
397
64
58
S
45
S
S
90
67
73
6
6
-
-
Sílvio
363
45
32
81
25
90
90
S
S
Cv
6
4
-
-
Jardel
335
65
90
S
90
L
90
Cv
L
L
4
4
-
-
A. Almeida
258
45
90
S
65
58
S
Cv
Cv
S
4
3
-
-
Marçal
80
26
S
9
45
S
-
X
X
X
3
-
-
-
Lindelof
45
13
S
S
S
32
Cv
-
-
-
2
-
-
-

Meio-campo: Gaitán (27 anos), Fejsa (27 anos), Samaris (26 anos), Pizzi (26 anos), Taarabt (26 anos), Carcela (26 anos), Salvio (25 anos), Djuricic (23 anos), Ola John (23 anos), anos), Talisca (21 anos),  João Teixeira (21 anos), Cristante (20 anos),  Victor Andrade (20 anos), Nuno Santos (20 anos) e Guedes (19 anos).


Futebolista
Minutos
Jg
Tit
Gl
As.
TOT
1.º
(1)
2.º
(2)
3.º
(3)
4.º
(4)
EC
(5)
ST
(6)
1.ªN
(7)
2.ªN
(8)
3.ªN
(9)
Gaitán
713
65
84
24
90
90
90
90
90
90
9
8
-
5
Samaris
541
77
58
90
25
52
72
S
77
90
8
6
1
-
Pizzi
495
45
32
66
65
58
34
60
90
45
9
7
1
-
Talisca
429
77
58
24
81
58
56
30
S
45
8
5
1

Fejsa
406
S
84
S
65
77
90
90
S
S
5
5
-
-
Ola John
298
25
32
45
9
S
81
61
45
S
7
4
-
-
Carcela
194
45
6
66
45
32
L
L
23
-
6
2
-
1
V. Andrade
119
X
X
X
X
X
X
29
45
45
3
1
-
1
G. Guedes
118
13
S
45
S
S
9
6
Cv
45
5
-
-
-
Cristante
70
13
19
S
25
13
-
L
-
-
4
-
-
-
João Teixeira
62
45
S
9
8
S
-
Cv
-
Cv
3
-
-
-
Nuno Santos
58
S
S
S
45
13
Cv
-
-
-
2
-
-
-
Taarabt
45
S
S
45
S
S
-
L
L
-
1
1
-
-
Djuricic
45
S
S
45
S
S
-
-
-
-
1
-
-
-
Salvio
Lesionado
                                              
Avançados: Jonas (31 anos), Mitroglou (27 anos), Raúl (24 anos) e Nélson Oliveira (24 anos).


Futebolista
Minutos
Jg
Tit
Gl
As.
TOT
1.º
(1)
2.º
(2)
3.º
(3)
4.º
(4)
EC
(5)
ST
(6)
1.ªN
(7)
2.ªN
(8)
3.ªN
(9)
Jonas
655
45
84
24
65
77
90
90
90
90
9
8
4
-
Mitroglou
282
X
X
X
X
X
18
84
90
90
3
2
1
1
Jonathan
220
S
71
66
25
58
S
S
X

4
3
-
-
N. Oliveira
64
26
6
S
S
32
-
-
-
-
3
-
-
-
Raúl
30
X
X
X
X
X
X
-
13
17
2
-
1
-

Que Benfica? Amanhã recomeça 2015/16!

Alberto Miguéns

PLANO PARA AS EDIÇÕES DURANTE  AGOSTO/SETEMBRO
(provisório como é evidente)
De 1 a 9 de Setembro de 2015 (Sempre pela meia-noite)
Terça-feira (de 31 para 1): A Maior Fábrica de Campeões (FTS-III);
Quarta-feira (de 1 para 2): Uma modalidade por semana: Ténis de Mesa;
Quinta-feira (de 2 para 3): Há 100 anos morreu o “Chacha”;
Sexta-feira (de 3 para 4): O que é que os “miúdos” têm?;
Sábado (de 4 para 5): Hipocrisia é moda?;
Domingo (de 5 para 6): Benfica tão brilhante que se vê no escuro;
Segunda-feira (de 6 para 7): O Mais Belo e Inigualável 138;
Terça-feira (de 7 para 8): Mentiras Oficiais Made in SLB;
Quarta-feira (de 8 para 9): Uma modalidade por semana: Pólo Aquático
Ler Mais ►