A criação deste Blogue, ideia lançada por António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

07/02/2017

Os Nós e os Laços

07/02/2017 + 1 Comentários
NÃO HÁ TEMPORADA QUE NÃO TENHA NÓS. E TAMBÉM NÃO HÁ ÉPOCA EM QUE ALGUNS NÓS NÃO PASSEM AFINAL DE LAÇOS.


Nós são entraves no caminho que geralmente provocam quedas. Laços são nós que se desfazem. Afinal não eram nós! Em 113 épocas a jogar futebol foram mais os nós que se transformaram em laços que aqueles que foram mesmo nós. E isso ficou a dever-se a todos nós (em várias gerações de adeptos).

Nesta temporada - 2016/17 - só houve um "nó"!
Que claramente nunca será laço. Ficará para sempre na Gloriosa História como um nó inamovível. O jogo no estádio do Algarve frente ao Moreirense FC. Atirou o Benfica, nas meias-finais, para fora da Taça da Liga. Até esta fase da época (mesmo as derrotas averbadas na Liga dos Campeões foram laços) todas as outras derrotas (e empates) no campeonato nacional podem ou não ser nós. Que sejam laços!


Há nós e nós!
É que há nós que são pequenos. Que se revelam menores. Que afinal se desenlaçam. Outros intransponíveis. Atente-se na "famosa" temporada da conquista do campeonato invicto, em 1972/73. Houve dois nós - o primeiro com o afastamento precoce (na época anterior o "Glorioso" chegou às meias-finais) na Taça dos Clubes Campeões Europeus (8 de Novembro de 1972, com carácter de "escândalo" após derrota por 0-3 com o campeão inglês Derby County FC, nos oitavos-de-final) e o segundo nó, na Taça de Portugal (8 de Abril de 1973, derrota por 0-2, frente ao 9.º classificado do campeonato nacional: Leixões SC). 




O da absurda eliminação na Taça dos Campeões Europeus (para além de um dos Clássicos SLB-FCP mais inacreditáveis)
Em 8 de Novembro de 1972 estava-se entre a 9.ª e a 10.ª jornada. O jogo da 9.ª jornada foi daqueles que só ocorrem uma vez "na vida". Na recepção ao FC Porto (11.º classificado a nove pontos do Benfica) o "Glorioso" esteve a perder, por 0-2, até aos 76 minutos. Depois em cima dos 90 minutos Humberto Coelho fez o 3-2 final. Três golos em menos de 15 minutos...frente ao FC Porto. Depois o nó (foi mesmo) chamado Derby County FC! Apesar da liderança isolada no campeonato nacional - cinco pontos de vantagem para o segundo classificado em nove dos 30 jogos - dizia-se que (ganhar "à rasca" a um FCP fraco e ser eliminado por "um clube sem expressão" internacional ao contrário do Benfica) ia afectar o "Glorioso" no que restava do campeonato. Não afectou! Campeões invictos com 28 vitórias e dois empates.




O da incrível eliminação na Taça de Portugal do Campeão Nacional Invicto pelo 9.º classificado que no campeonato averbara duas derrotas e 11/1 em golos!
Em 8 de Abril de 1973 estava-se entre a 24.ª e a 25.ª jornada. Apesar do Benfica se ter sagrado campeão nacional na 23.ª jornada (após 23 vitórias consecutivas) o empate forçado pelo árbitro António Garrido (2-2, frente ao FC Porto, no estádio das Antas, na 24.ª jornada) e depois a inacreditável eliminação na Taça de Portugal frente a um clube que havia perdido por 6-0 (Luz) e 5-1 (Matosinhos). O nó foi mesmo o Leixões SC (a lutar pela permanência no principal escalão) que eliminou o Benfica com 2-0! Afirmou-se que o Benfica não conseguiria ser campeão invicto, tal como em 1959/60 quando só averbou uma derrota precisamente na última jornada, na recepção na "Saudosa Catedral", ao CF "Os Belenenses". Também não afectou! Apenas mais um empate - na Tapadinha, frente ao Atlético CP - nos seis jogos finais para o campeonato nacional. 
Foram dois nós que afinal o sucesso total (invicto) no campeonato nacional esconde. Mas essa temporada - em termos globais - ficou longe de ser das melhores!  

E depois somos nós!
O foco tem de estar sempre concentrado no essencial. No Benfica. Pela sua grandeza, traduzida em popularidade e dimensão superior (é ver aqui por baixo no estudo da UEFA qual é o clube que tem a maior percentagem de popularidade por países). Quando se dispersa esse foco por minudências (como dizia Ferreira Bogalho) e "ódios de estimação" quem paga é o percurso desportivo do Benfica. Como já ocorreu esta temporada no campeonato nacional. A esperança é que esses cinco nós - dois grandes e três mais pequenos mas suficientes para causar mossa - na 34.ª jornada não tenham passado de laços. O ser ou não ser não é a questão. A questão somos nós!    


Página 41 de um estudo da UEFA (clicar para o documento da UEFA embora o estudo original esteja em inglês) quase emparelhando o Benfica (clube mais popular em Portugal e com a maior percentagem de população - 49 por cento - de um País como simpatizante) com o FC Estrela/Steaua Bucareste (45 por cento na Roménia). Há 14 países em que não havendo um clube que se sobreponha são os clubes estrangeiros os mais populares

Vai ser um aperto depois de seis pontos de vantagem para o segundo classificado
Com um ponto de vantagem o "Glorioso" está proibido de perder qualquer ponto antes do FC Porto ceder algum. É bom que o campeonato da época passada sirva de exemplo de como "andar muito atrás já a depender de terceiros" e passar para a frente é uma vitamina super eficaz. Costuma dizer-se que em situações destas. «O feitiço vira-se contra o feiticeiro!»  

CAMPEONATO NACIONAL 2016/17
(12 pontos desperdiçados em 20 jogos; em 2015/16 o "Glorioso" desperdiçou 14 pontos - 4 derrotas e um empate - em 34 jogos)
Jorn
RES
Sit
Adversário
FCP
SCP
01
V 2-0
F
CD Tondela
=
=
02
E 1-1
C
Vitória FC Setúbal
- 2
-2
03
V 3-1
F
CD Nacional
+ 1
-2
04
V 2-1
F
FC Arouca
+ 1
-2
05
V 3-1
C
SC Braga
+ 3
+ 1
06
V 2-0
F
GD Chaves
+ 3
+ 1
07
V 4-0
C
CD Feirense
+ 3
+ 3
08
V 2-0
F
CF “Os Belenenses”
+ 3
+ 5
09
V 3-0
C
FC Paços de Ferreira
+ 5
+ 7
10
E 1-1
F
FC Porto
+ 5
+ 5
11
V 3-0
C
Moreirense FC
+ 7
+ 5
12
D 1-2
F
CS Marítimo
+ 4
+ 2
13
V 2-1
C
Sporting CP
+ 4
+ 5
14
V 1-0
F
GD Estoril Praia
+ 4
+ 8
15
V 2-0
C
Rio Ave FC
+ 4
+ 8
16
V 2-0
F
Vitória SC Guimarães
+ 6
+ 8
17
E 3-3
C
Boavista FC
+ 4
+ 8
18
V 4-0
C
CD Tondela
+ 4
+ 10
19
D 0-1
F
Vitória FC Setúbal
+ 1
+ 7
20
V 3-0
C
CD Nacional
+ 1
+ 10
21

C
FC Arouca


22

F
SC Braga


23

C
GD Chaves


24

F
CD Feirense


25

C
CF “Os Belenenses”


26

F
FC Paços de Ferreira


27

C
FC Porto


28

F
Moreirense FC


29

C
CS Marítimo


30

F
Sporting CP


31

C
GD Estoril Praia


32

F
Rio Ave FC


33

C
Vitória SC Guimarães


34

F
Boavista FC



NOTA: As diferenças não são em tempo real, pois não contemplam adiamentos ou antecipações de jogos

À entrada para esta fase decisiva da época
Repito. Até esta fase da temporada todas as outras derrotas (excepto uma) podem ou não ser nós. Para não passarem de apenas laços...dependem de nós. De todos nós! Do Benfica! Incluindo futebolistas, treinadores e dirigentes.  

Acredita Benfica!

Alberto Miguéns
1 comentários Blogger
comentários Facebook
  1. E, permita-me acrescentar, no que "para fora" diz respeito, recentrar a mira para os de quem nunca devia ter sido desviada!
    Já custa continuar a ver pessoas que estão naqueles programas que mais parecem lavandarias de roupa muito suja e que são consideradas afectas ao Glorioso continuarem a privilegiar o "tiro" ao lagarto!
    O que poderá indicar que estão lá mais para satisfazer a quota das audiências (porque serão as televisões que lhes pagam) do que porfiar pela transparência e seriedade do fenómeno desportivo, cavalo de batalha do S.L.B.!
    Saudações Benfiquistas!

    ResponderEliminar