A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

19/04/2017

SLB - SCP: Dão-se Mal Como Vizinhos

19/04/2017 + 3 Comentários API
PENSO QUE LOGO NO INÍCIO DESTE BLOGUE COMPROMETI-ME A DEMONSTRAR - E TENHO IDEIA QUE NUNCA O FIZ - QUE ERA FALSO A ESTAFADA FRASE:


Quando o Benfica ficou sem campo (o das Amoreiras, em 1939) o Sporting CP emprestou o dele ao Benfica!


De lágrimas nos olhos. Ver "cortado"a alcatrão as nossas Amoreiras, onde o Benfica teve algumas das suas maiores tardes de glória, a nível nacional e internacional, entre 1925 e 1939. Além no campo de Basquetebol onde se iniciou uma das modalidades históricas (e melhor sucedidas) do Clube

Isto pressupunha que o Sporting CP tinha abandonado o Campo 28 de Maio para jogar no estádio do Lumiar, em 1937, e o Benfica depois de expropriado do Estádio das Amoreiras, para construção da autoestrada para o viaduto Duarte Pacheco e prolongamento ao Estádio Nacional, ficando sem campo, aceitou a oferta do Sporting CP de um espaço que estava desocupado há duas épocas. Nada disso.


O Lumiar-A era o estádio do clube da empresa CUF - Companhia União Fabril, que por impossibilidade legal de usar o nome comercial tomou a designação (espertalhona) de UFC: Unidos FC.


De um campo "sem condições" segundo os responsáveis pelo SCP a justificar, em 1936, a necessidade de mudança para o espaçoso estádio do Lumiar (ainda em madeira e depois em 1947 em alvenaria (data da fotografia) as mãos laboriosas dos Benfiquistas construíram, depois de quatro épocas de completo abandono e degradação, bancadas de madeira (com carreira de Tiro por baixo) em todo o campo para o Futebol e ao lado uma pista de atletismo em cinza à volta do campo para Andebol de Onze, Râguebi e Hóquei em Campo. Além de um campo para treinar Basquetebol e Voleibol. O Hóquei em Patins jogava-se no rinque da Sede (Avenida Gomes Pereira) e o Ténis de Campo no "court" também na Sede. O Bilhar e o Ténis de Mesa competia na Secretaria (Rua Jardim do Regedor)

Lembro-me de dizer que o faria quando conseguisse provar que o Benfica pagava arrendamento pelo campo e não que este estava cedido graciosamente num gesto de boa vontade. E que o senhorio era a Câmara Municipal de Lisboa. Eis a prova do pagamento.

(clicar em cima para obter melhor visualização)
Relatório e Contas da Gerência de 1942-43 e Parecer do Conselho Fiscal; página 10; Aprovado pelos associados do Sport Lisboa e Benfica em 4 de Setembro de 1943

O Benfica inaugurou o Campo na simbólica data do 5 de Outubro de 1941, pagando pelo arrendamento 600 escudos por mês (7 200 escudos por ano) à Câmara Municipal de Lisboa. Além de alterar o nome. Deixava de ser Campo 28 de Maio e passava a apenas Campo Grande.



A história que o SCP conta no seu portal é pura ficção (clicar) Porque resulta de um equívoco. O SCP nunca foi proprietário do campo. Era inquilino. Foi sempre inquilino, acabando a arrendar o espaço à CML. Quando saiu o proprietário era a CML, que tinha expropriado os terrenos - 50 metros para cada lado - do local onde seria construída a futura Segunda Circular. O SCP ao alugar o estádio do Lumiar deixou de pagar a renda mensal em 1937, o campo ficou abandonado e devido à expropriação das nossas Amoreiras o Ministério das Obras Públicas e a CML acordaram que até solução definitiva o Benfica ocuparia o antigo campo onde jogara o SCP mediante o pagamento de uma renda mensal. O Sporting CP não podia emprestar o que não era dele!


Quando o Sporting CP ergueu, em betão, o estádio José Alvalade (1956) à sombra lá estava a "Estância de Madeiras" (pelado) utilizado como segundo campo - ainda com uma bancada como se percebe - após a construção da "Saudosa Catedral" em 1 de Dezembro de 1954

Sábado? Vamos Benfica!

Alberto Miguéns

NOTA: O Sporting CP foi inquilino do Lumiar até 1946. Só neste ano comprou o espaço. Até 1917 o SCP jogou num espaço decido pelo Visconde de Alvalade - Sítio das Mouras, depois denominado Lumiar-A quando passou a ser utilizado pelos Unidos FC Lisboa (CUF Lisboa) - terrenos herdados pelo patrono da CUF após casamento com uma descendente do Visconde de Alvalade. O SCP entre 1917 e 1937 jogou num espaço alugado, primeiro à família Pinto da Cunha e depois à CML pelos motivos anteriormente justificados. Entre 1937 e 1946 alugou o estádio do Lumiar à Empresa de Eventos Desportivos do Stadium de Lisboa. Em 1947 comprou o espaço, remodelou-o (de madeira para alvenaria) e em 10 de Junho de 1956 inaugurou o estádio em betão que foi desmantelado para fazer o actual. Onde o SLB se prepara para vencer no próximo sábado. Estas notas foram retiradas da obra "História e Vida do Sporting Clube de Portugal", da autoria de Eduardo Azevedo, avô materno do actual presidente do clube.


3 comentários
comentários
  1. Catrapum! Mais um eficaz esclarecimento da verdade histórica. O SLB andou sempre com a casa às costa com senhorios que colocavam as rendas em níveis incomportáveis ou com o Estado a obrigar-nos a sair dos terrenos quer para fazer estradas efectivas (Amoreiras) quer para fazer ruas que afinal levaram décadas para concretizar (Sete Rios).

    Não tivesse o SLB necessidade de andar a investir sistematicamente na criação de infraestruturas em terrenos de outros... Seguramente com casa própria ou com senhorios mais gentis como os que o SCP terá tido, teríamos com certeza investido mais nas nossas equipas de futebol.

    ResponderEliminar
  2. Com este potente farol, jamais me perco nos labirintos da nossa gloriosa história!!!

    ResponderEliminar
  3. Tens razao Viriato. Com o Miguens à frente não precisamos de candeia, estamos sempre iluminados. Obrigada Miguens.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail